2017/06/06

4EB “A resposta é sim, mas qual pode ser a pergunta?” 15 MESES

Sponville nos diz que a compreensão não é tudo, nem a finalidade última, pois pode ser que não haja nada a compreender e cita Wittgenstein: “A solução do enigma é que não há enigma” e Wood Allen emenda: “A resposta é sim, mas qual pode ser a pergunta?”

Não há perguntas, apenas o próprio mundo.

Aprender com um parceiro, estar aberto à vida que se apresenta e direciona-la da maneira mais sábia e simples é responder sim.
Abandonar a filosofia na primeira pessoa, a solidão intelectual e aceitar novos saberes é responder sim.
Perceber, por causa do outro, que o devir antes conhecido não mais existe, é responder sim.
Abdicar do logos e se entregar ao desejo (“não quero o que a cabeça pensa, eu quero o que a alma deseja”), é responder sim.

Subamos, juntos, os degraus nessa escada, pois sabemos a resposta que nos aguarda.   
                                  I
                                 I I
                                I I I

2 comentários:

Eleni Barani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eleni Barani disse...

I, II, III.